Exames

Os exames electrofisiológicos visuais, incluem uma série de testes que utilizam uma variedade de tecnologias e métodos sofisticados para detectar, diagnosticar e avaliar várias doenças do sistema visual.

– Aberrometria

– Angiografia Fluoresceínica

– Angiografia com verde de Indocianina

– Biometrias

– Gráfico de Hess

– Curva tonométrica de 24h

– Ecografias/ UBM/ Paquimetrias

– Estudos Electro Fisiológicos ( PEV, ERG, EOG)- adultos e crianças (1)

– Fotografia do segmento anterior

– Microscopia Especular

– Perimetria Computorizada e de Goldmann (PEC)

– Retinografia

– Tomografia de coerência óptica de segmento anterior e posterior (OCT)

– Tomografia – Orbscan e Pentacam

 

(1) Os exames electrofisiológicos visuais, incluem uma série de testes que utilizam uma variedade de tecnologias e métodos sofisticados para detectar, diagnosticar e avaliar várias doenças do sistema visual. São métodos objectivos, não-invasivos e são realizados segundo os critérios normalizados do ISCEV ( International Society for Clinical Electrophysiology of Vision).

Estes testes avaliam a função visual ao longo da via óptica, da retina ao cérebro (córtex visual), ajudando a estabelecer o diagnóstico correcto ou a excluir doenças com repercussão no sistema visual.

 

Utilidade Clínica

Os testes electrofisiológicos são úteis no diagnóstico de uma variedade de doenças hereditárias ou adquiridas da retina e do nervo óptico, perda visual inexplicada, doenças tóxicas e nutricionais, doenças inflamatórias, imunológicas do sistema visual, nistagmo, doenças neurológicas como esclerose múltipla, opacidade dos meios ópticos, traumatismos, corpos estranhos intra-oculares, e doenças vasculares da retina. Os dados são usados em conjunto com o exame clínico e se necessário com outros exames como, Perimetria Estática Computorizada (PEC), Visão Cromática (VC), Tomografia de Coerência Óptica (OCT), Fundo de Autofluorescência (FAF) para estabelecer um diagnóstico correcto.

ERG sob anestesia

Nas crianças em que é difícil obter cooperação nas condições clínicas habituais, pode ser realizado no bloco operatório, um Electroretinograma “full-field” (ERG ff) sob anestesia geral, sendo previamente avaliadas em consulta por oftalmologista e anestesista da equipa de electrofisiologia.

O ERG  é realizado no bloco operatório de modo muito semelhante ao ERG realizado na clínica. Tem a duração aproximada de 90 minutos e é feito em regime de ambulatório, pelo que não necessita de internamento, obrigando no entanto, à permanência da criança em sala de recobro durante algumas horas.

A criança deverá estar em jejum nas 5 horas que antecedem o exame (ausência de ingestão de sólidos e líquidos).Não deverá ser interrompida qualquer medicação que a criança faça regularmente (anti-epilépticos, antibióticos, etc.) Após o exame, devem ser respeitadas todas as indicações dadas pelo médico anestesista.

Equipa de Electrofisiologia

Dra. Fátima Campos, Dra. Ivone Cravo, Dra. Manuela Novais

 

– Electroretinograma “full-field”

Duração do teste: 90 minutos, incluindo o tempo de dilatação das pupilas.

Objectivo: É um teste de função global da retina. Avalia a actividade eléctrica das células da retina em resposta a flashes de luz.

Procedimento: Geralmente utilizam-se eléctrodos de não contacto (DTL), colocados no fundo de saco conjuntival de ambos os olhos e eléctrodos de contacto na região frontal e na região temporal. São apresentados ao doente, flashes de luz provenientes de um estimulador, com a iluminação da sala ligada e desligada.

Outras informações: Antes do teste são colocadas gotas nos 2 olhos, que dilatam as pupilas e causam maior sensibilidade à luz e visão desfocada, durante 6-24 horas, pelo que o doente não deve conduzir após o teste, aconselhando-se óculos de sol devido à hipersensibilidade à luz.

O teste pode ser realizado em qualquer idade, no entanto as crianças entre os 10 meses e 4-5 anos, geralmente não cooperam neste exame, pelo que pode ser feito sob anestesia geral.

 

– Electroretinograma “multifocal” 

Duração do teste: 60 minutos, incluindo o tempo de dilatação das pupilas.

Objectivo: É um teste de função macular. Avalia a actividade eléctrica das células maculares da retina.

Procedimento: Utilizam-se eléctrodos de não contacto (DTL), colocados no fundo de saco conjuntival de ambos os olhos e eléctrodos de contacto na região frontal e na região temporal direita e esquerda. São apresentados num conjunto de elementos hexagonais num monitor de computador, estando a sala iluminada.

Outras informações: Antes do teste são colocadas gotas nos 2 olhos, que dilatam as pupilas e causam maior sensibilidade à luz e visão desfocada, durante 6-24 horas, pelo que o doente não deve conduzir após o teste, aconselhando-se óculos de sol devido à hipersensibilidade à luz.

O teste requer total cooperação, pelo que, os doentes devem ter idade igual ou superior a 10 anos.

 

– Electroretinograma “pattern” 

Duração do teste: Aproximadamente 30 minutos.

Objectivo: É um teste de função da retina central. Avalia a actividade eléctrica das células ganglionares da retina macular e do nervo óptico.

Procedimento: O ERGP utiliza um estímulo padronizado muito semelhante ao do PEV P emitido por monitor de computador, estando a sala iluminada.

Outras informações: Este teste não requer gotas que dilatam as pupilas.

O teste requer total cooperação pelo que, as crianças devem ter idade igual ou superior a 10-12 anos.

 

– Electro-oculograma 

Duração do teste: Aproximadamente 45 a 60 minutos, incluindo o tempo de dilatação das pupilas.
Objectivo: É um teste que traduz a integridade do epitélio pigmentado da retina. Avalia a função das células da camada externa da retina e do epitélio pigmentado.

Procedimento: Utilizam-se eléctrodos de contacto cutâneo colocados de cada lado do nariz e da região temporal direita e esquerda. O doente fixa um estimulador em forma de hemi-cúpula e segue 2 luzes alternadamente por 15 segundos, em cada minuto, num total aproximado de 45 minutos com a iluminação da sala ligada e desligada.

Outras informações:Antes do teste são colocadas gotas nos 2 olhos, que dilatam as pupilas e causam maior sensibilidade à luz e visão desfocada, durante 6-24 horas, pelo que o doente não deve conduzir após o teste, aconselhando-se óculos de sol devido à hipersensibilidade à luz.
O teste requer total cooperação, pelo que, as crianças devem ter idade igual ou superior a 6 -10 anos.

 

– Potenciais Evocados Visuais “Pattern”

Duração do teste: aproximadamente 30 a 45 minutos.
Objectivo: É um teste de integridade do sistema visual. Avalia a actividade eléctrica do cérebro em resposta a um estímulo visual externo. Os estímulos utilizados mais utilizados são flashes de luz (PEV F), ou padronizado (PEV P).

Procedimento: Utilizam-se eléctrodos de contacto colocados na região occipital do escalpe, região frontal e região temporal. São apresentados ao doente flashes de luz provenientes de um estimulador (PEV F), ou um estímulo padronizado (PEV P) emitido por monitor de computador, estando a sala iluminada.

Outras informações: Este teste não requer gotas que dilatam as pupilas. Normalmente, os PEV F, não requerem cooperação completa, pelo que podem ser realizados em qualquer idade. Contudo os PEV P, requerem cooperação total pelo que a criança deve ter idade igual ou superior a 2-5 anos.
O teste é realizado com a visão corrigida (óculos ou lentes de contacto).

 

-Potenciais Evocados Visuais “Flash”

Duração do teste: aproximadamente 30 a 45 minutos.
Objectivo: É um teste de integridade do sistema visual. Avalia a actividade eléctrica do cérebro em resposta a um estímulo visual externo. Os estímulos utilizados mais utilizados são flashes de luz (PEV F), ou padronizado (PEV P).

Procedimento: Utilizam-se eléctrodos de contacto colocados na região occipital do escalpe, região frontal e região temporal. São apresentados ao doente flashes de luz provenientes de um estimulador (PEV F), ou um estímulo padronizado (PEV P) emitido por monitor de computador, estando a sala iluminada.

Outras informações: Este teste não requer gotas que dilatam as pupilas. Normalmente, os PEV F, não requerem cooperação completa, pelo que podem ser realizados em qualquer idade. Contudo os PEV P, requerem cooperação total pelo que a criança deve ter idade igual ou superior a 2-5 anos.
O teste é realizado com a visão corrigida (óculos ou lentes de contacto).